sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Possibility.

Eu queria guardar todas as coisas que leio, principalmente o que leio na internet, e acho que esse blog nasceu pra isso. A Tavi escreveu esse mês sobre possibilidades, e é realmente genial. Tenho até a impressão que esse blog deveria mudar pra ode a Tavi (lê-se Taví porque estamos falando em brasileiro).

"Possibility makes me think of the term in psychoanalysis transformational object: A person, place, thing, or idea that lights you up not exactly because of what it is, but because of the possibilities it represents; something which "promises to the transform the self."

sobre seu antigo quarto na casa dos pais ela disse: "nothing was ever just a bookcase or dresser or closet but a web of possible futures"

"pieces of jewelry I'd never wear but would pile on every surface as a suggestion"
Esse trecho me lembrou da discussão que há na minha cabeça sobre o minimalismo versus o consumo consciente, porque por um lado eu posso evitar ter coisas que nunca vou usar, levando em consideração que não posso consumir deliberadamente apenas por prazer. Mas muitas coisas guardam um significado e, inclusive, muitas possibilidades. Isso me explica muito sobre essas garotas sempre demonstrarem ser muito acumuladoras, mas sem o estigma ruim.

E agora a coisa fica incrível, quando ela fala sobre as roupas que nunca usou:
"lived in the dimension of the purely symbolic, untempted by the experience of being in my body but endlessly pleased to turn over an idea somewhere in mid-air"

0 comentários:

Postar um comentário | Feed