quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Colin Firth

Eu acho o Arthur muito bonito, sinceramente ele é. Sempre que vejo um outro homem que também seja bonito eu automaticamente acho que ele se parece com o Arthur, não porque eles têm traços parecidos ou detalhes físicos que sejam iguais, mas porque ambos guardam na feição a beleza. A beleza é física e perceptível. Se eu encontrasse com o John Mayer com certeza, se tivesse tempo de conversar, eu diria que ele e meu namorado têm algo em comum e que são muito parecidos, os dois são muito bonitos. A beleza não é mais nem menos, ela é uma luz iluminando o rosto de alguém que você gosta de olhar, que você olha a ponto da pessoa se sentir constrangida, porque a beleza constrange.
Hoje assisti o diário de Bridget Jones e tive uma outra percepção sobre filmes românticos. Quis, desesperadamente, olhar pro Arthur e ver a imagem projetada para o deleite que essa fotografia conseguiu:
Com toda a aura de beleza que lhe pertence.

Nenhum comentário: