quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Três planetas e três jeitos de cuidar de um só

Mais um da série sobre consumo consciente, esse post é um resumo desse post do site das Nações Unidas.

Segundo o Banco Mundial, um banco internacional que empresta dinheiro para países em desenvolvimento, conforme a população cresce e continua com os mesmos costumes consumistas, em 2050 vamos precisar de três planetas terra, não só para continuar vivendo, mas para manter nosso nível descontrolado de consumo. É levado em consideração que tanto países desenvolvidos e subdesenvolvidos têm responsabilidade nesse processo, e dentro das principais causas, é avaliado: O desperdício de alimentos, o uso de fontes não renováveis de energia, e o descarte de resíduos não tratados no meio ambiente.

Por ano, cerca de um terço de todo alimento produzido no mundo é desperdiçado, isso inclui o desperdício na indústria, no transporte dos alimentos, no varejo e nas residências. Além do desperdício, a maneira que plantamos degrada o solo tornando-o infértil, a quantidade de água e usamos (e desperdiçamos também), além de outros danos irreparáveis que causamos por não preservarmos esses recursos naturais, degradando-os através do consumo não consciente. O que significa que além de destruirmos o meio ambiente ao produzirmos alimentos, ainda jogamos fora boa parte deles, tornando imperativa a necessidade de avaliarmos a quantidade que comemos, a qualidade dos alimentos e principalmente aliar tudo isso a nossa real necessidade como seres humanos e não como consumidores.
O consumo de energia também aumentou, o setor de transportes é o que mais consome, já o comércio e as residências, que ficam em segundo, podem tomar medidas simples e fáceis que podem reduzir o consumo, como por exemplo, passar a usar lâmpadas de baixo consumo. Porém, é necessário haver ações por parte do governo nos países para que haja essa redução, pois independente da economia do país, cerca de 10% do PIB é destinado a manutenção de energias não renováveis.
Por dia, cada indivíduo gera cerca de 14% de lixo que em sua maioria poderia ser reciclado. Levando em consideração que todo esse lixo é despejado em algum lugar onde tem pessoas por perto, cerca de 200 milhões de pessoas podem adoecer por conta desses resíduos. Uma medida seria cobrar da empresas uma responsabilidade quanto a quantidade de resíduos que seus produtos geram, sendo também responsáveis pela reciclagem deles. Da mesma maneira, os próprios indivíduos devem separar os resíduos destinando-os para a reciclagem. Mas, antes de virar lixo reciclável, é importante evitar inclusive isso, não se trata de consumir produtos recicláveis, porque nem sempre são reciclados, mas é uma questão de não gerar lixo, e sabemos que é possível.

O consumo consciente, pelo que vejo, perpassa praticamente todas as áreas de nossas necessidades atuais, não que sejam reais necessidades dos seres humanos, criamos essas necessidades altamente destrutivas e insustentáveis. Devemos entender nossa posição diante disso e agirmos a favor do planeta e de toda humanidade.

O conceito de consumo vai muito além do simples gesto diário de fazer compras, e torná-lo sustentável passa por uma série de desafios que envolvem toda a sociedade.

Nenhum comentário: