quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Hoje eu sou saudade.

O seu abraço hoje foi a expressão mais admirável de beleza que possa existir na vida e eu gostaria que durasse por muito mais tempo. O toque da sua mão teve pra mim um peso enorme, porque eu imaginei em um segundo estar conectada a você. Hoje eu não vou conseguir tirar o nó da garganta, esse sentimento que está apertando meu peito e dando todo o choro, sem lágrimas, aos olhos. Não quero me recuperar do prazer da contemplação da sua presença. Se um dia eu crescer eu quero ser igual a você. Você é de longe a mulher mais admirável que eu já pude ter a alegria de conhecer. Há felicidade imensurável no entendimento que eu tenho de você; gostaria de em algum momento do cosmos ter sua idade, conversar com você, compreender o mundo inteiro, te ver descobrir, te ver se formando como é porque que arte maravilhosa você é. Eu vou sentir saudades pra sempre. Eu senti tanta saudade! Eu senti tanto por você, eu sonhei com você e gostaria que o universo fosse bondoso comigo me dando o prazer de estar mais uma vez nas suas aulas. E que aulas! E que mulher! Que pessoa! Que alma!
Hoje eu estou explodindo de amor por você e todo a luz que você trouxe pra minha vida.
Hoje eu compreendo a paixão que há em mim.
Hoje eu compreendo que todo esforço foi válido e que nada jamais será pra você suficiente, você é imensurável.
Sim, eu vou honrar essa profissão linda que fala tanto de justiça, daqui a quatro ou cinco anos eu quero lembrar de você dizendo que tivesse integridade, que eu não fosse como os outros, mas eu serei como você. Eu farei por você, por meus filhos, pelo amor, pela justiça, pelo verdade, pela igualdade, pela honestidade, pelo direito, pela liberdade, mais uma vez por você.

O mundo tem sorte de ter você vivendo nele. Eu não sei como agradecer por ter conhecido você. Não sei como explicar o sentimento que não tem fim de lembrar do seu sorriso falando "Brunninha".

Um pedaço de tudo o que eu deveria ter dito a Izabel.