segunda-feira, 15 de abril de 2013

Sobre confessar


- Lu, eu posso te confessar um coisa?
Esse é o momento em que todas as suas ações passam resumidamente e rapidamente na sua cabeça, pra ver se algo de errado aconteceu, ou algo de muito bom. 
- Fala Ulisses
- Eu acho que você tá ficando diferente
- Diferente como? Diferente, mudando pro lado negro da força? ou diferente crescendo?
- Não sei bem, mas com certeza não é mudando pro mal, deve ser crescendo. Lu, você seria capaz de desejar algo mal pra mim?
- Não! Nunca, isso jamais passou pela minha cabeça. Eu te amo tanto. Quer uma prova? Eu odeio falar no telefone, e olha só, to há meia hora falando aqui contigo por esse comunicador desagradável. 
- Mas você odeia tudo, Lu! 
- Não te odeio. 
- Mas voltando a conversa de você estar diferente. Eu acho que percebi. Provavelmente você esteja crescendo e eu ainda não. Sabe? Você tá com um olhar diferente, pessimista, mas realista. Eu sinto que parei na fase de achar tudo maravilhosamente com esperança.
- Mas há esperança. Eu acho que não pra mim, mas pra alguém que acredita. 
- Você é a minha esperança.
- Isso me tocou mais do que a vez que você me fez acreditar no amor. 
- Mas você é pessimista, não acredita no amor.
- Acredito no seu.

0 comentários:

Postar um comentário | Feed