22 abril 2013

Pequenininha


Quando você chega, calminho, dizendo devagarzinho (quase sem querer) que tá sem graça me ver eu confesso que dói meu coraçãozinho. Em palavrinhas, em passinhos eu vou te entendendo e vendo que essa cidade é pequena pro nosso amor. 
E tudo que é tão miudinho um dia fará falta, porque em nosso coração imenso vai sobrar espaço. E essa cidade que é pequena jamais irá se comparar com o tamanho que a nossa casa terá pra gente, será imensa, porque tudo que tem amor é absurdamente gigante. Mas espera, amor, vem calminho, de mansinho, que as melhores coisas são conseguidas com leveza e carinho.

p.s: amor a gente tem e tá sobrando