segunda-feira, 22 de abril de 2013

Especial (lê-se is-pé-xial)

Quando eu vejo aquele casal que eu gosto tanto é interessante porque enquanto eu vejo uma das partes eu percebo como aquela pessoa é maravilhosa e linda, e que só a outra tem total acesso a ela. Tem gente especial e egoísta que quer as pessoas mais bonitas do mundo só pra si. E eu não to falando de beleza física não (embora esses dois tenham de sobra), mas eu to falando de uma delicadeza, uma inteligência, de coisas bonitas de verdade; aquelas que o fogo não queima. Porque tantas pessoas queriam estar no lugar da outra e não, ninguém pode estar porque só uma tem acesso. E eu me sinto assim, exclusiva, com relação a você, porque eu sei que ninguém vai ter acesso a você como eu tenho. Ninguém vai conhecer suas manias, seus detalhes, seus segredos, aquelas coisas que todo mundo bate o olho e se encanta, é meu. Essa beleza que te compõe (exteriormente mesmo) é do tipo que alguém vê e tem vontade de conhecer mais a fundo, porque teus olhos dizem a todo mundo que tem muito mais pra mostrar, bem escondidinho, e só eu posso ver teus detalhes com relação a isso, só eu um dia vou ver tua parte bonita inteiramente, sem subjetividade ou pudor. Só eu, e ninguém mais. E se isso não for ser especial, eu preciso conversar com o criador dessa palavra pra saber o que ela realmente significa, porque pra mim significa isso: ter o que é de melhor pra si, guardar em si, e se sentir aliviada por não ter que procurar mais por isso. As tuas caras, as tuas expressões, teus gostos, teu cheiro, a tua parte esquisita (porque creep aren't we all?), os teus olhos mais brilhantes, o teu sorriso (que aliás me deixa com uma vontade imensa de te beijar), o teu beijo e o teu amor (esses dois principalmente) são só meus, serão só meus até o infinito... E o bom de te amar é isso: ter um infinito dentro de mim, porque ter a certeza que eu vou te amar por eternidades, como Deus assim prometeu, é ter isso em mim. E diz, é todo mundo que tem isso? É não, not at all. E eu? Sou sua, só sua, e se algum carinha (ou mulher, diante da libertinagem dos nossos dias) me quiser, pode ter certeza que vai ser em vão, porque eu nasci pra ser sua e é só você que mexe comigo, nobody else. E quando você me fala "minha" é como estar em casa, verdade, é uma sensação que eu não sei te explicar. Meus beijos, meu amor, meu inglês ruim e tudo mais de bom e ruim que há em mim, é teu, teu, e teu de novo. E relaxa, mesmo que eu aprenda a voar eu não vou fugir, porque aqui é meu lugar e tudo o que eu preciso nessa vida eu já tenho, aqui, com você, aqui, meu. 

0 comentários:

Postar um comentário | Feed