segunda-feira, 1 de abril de 2013

Cheater

- Oi meu amor! Eu senti tanta saudade, sabe, as horas sem você parecem passar mais lentamente. Mas quando eu fico com você parece que 1 segundo equivale a anos. Vai ver que os amantes vivem em um outro universo, e Ester, eu já tenho provas de que não somos desse universo.
- Eu preciso te contar uma coisa. Acho que você não vai gostar muito então pra não te deixar surpreso ou estragar qualquer coisa, pode ficar desanimado, eu acho.
- Fala meu amor.
- A gente devia terminar
e quase com a mesma velocidade que um vírus se espalha, essa frase começou e manhcar todas as memórias que ele tinha, como se tudo que ele viveu até aquele momento tenha sido relevante pra ele estar ali, se doendo. Pensou em todos os momentos com ela e aquela mancha o fez ver tudo de outra forma: ver que todas as ações dela provavelmente teriam sido calculadas pra estar ali.
- Eu não me sinto apaixonada. Quer dizer, apaixonada sim, gosto muito de você, mas eu sinto que não é o bastante. E sabe, eu acho que você pode achar alguém que te ame mais do que eu logo, porque você é adorável.
- Um amor como esse que você me apresenta agora eu posso encontrar em qualquer lugar.
- Não... eu não to fazendo isso por mal, eu simplesmente não posso. Se você gosta de mim tenta me entender. Eu percebi que o que eu sinto por ti não é o que eu sentia pelo Gabriel antes dele me deixar.
- Como que a gente consegue entender um amor não correspondido, Ester? Como?! Como que eu vou começar a refazer coisas que eu fazia antes de você e que na verdade eu nem sei mais o que fazer, você me isolou da minha vida e agora me bota nela de novo? Como se não tivesse feito nada.
- Você mesmo disse que isso ia acontecer um dia.
- Eu disse que a gente não ia ficar junto pra sempre. Não disse que um dia você se reapaixonaria por um ex-namorado babaca que te deixou, e me deixar aqui, sangrando, sofrendo, porque eu nunca me importei com mulher nenhuma e você foi a única que me fez querer fazer valer a pena. Ester, isso é pecado, não vê? Largar um homem que te ama por outro que te faz cócegas no coração? Não, Ester! Não! Isso é errado. Quem devia te deixar era eu, porque eu nunca quis amar ninguém.
- Mas eu não tenho culpa. Você me disse que não dá pra mandar no coração.
- Dá sim! Dá sim porque eu mandei meu coração te amar, e agora ele te ama, ama muito, mas eu vou mandar ele não lembrar nunca mais que você existiu. Você poderia ter me deixado por não gostar mais de mim, mas me deixar por achar que despertou outro sentimento e o que tem entre a gente não é importante... eu não quero te ver nunca mais Ester.
- Não, por favor não faz isso... eu...
- Gosta de mim? gosta da minha presença, né? Vai ser complicado se acostumar com a minha ausência, né? E eu, eu vou ter que me contentar com uma vida que eu não quero pra mim. Agora Ester, agora o que é que eu faço?
- Não sei. Você pode começar procurando um amor de novo.
- De novo? De novo como? se você nunca me amou? Sabe o que eu quero? Eu quero mesmo é que você ache que ele te deu esperança, e que dentro de você comece a nascer um sentimento por ele, pouco a pouco, e fique tão grande quanto isso que eu sinto por você, dai ele te diga que foi tudo um mal entendido, que nunca te deu esperança nenhuma e que agora tá em outra. Não vem falar comigo, não me procura nunca mais porque eu quero tanto te esquecer, agora eu quero, por difícil que seja, mas eu vou te esquecer porque todas as boas memórias estão manchadas, bagunçadas por suas próprias mãos.
- Não, eu não o amo. Só acho que o que eu sinto por você não é o bastante, assim como eu sentia por ele.
- Legal, agora você melhorou tudo me fazendo perceber que eu nunca fui capaz de te fazer gostar de mim.
- Não dá pra fazer alguém gostar de alguém.
- Dá pra fazer alguém odiar alguém. Parabéns.

0 comentários:

Postar um comentário | Feed