domingo, 15 de abril de 2012

"e de repente eu me vi assim"

- Eu prometo de dar um amor de cinema. Você só precisa esperar.
- Por que eu tenho tanto que esperar?
- Imagina que você é uma criança e tem uma vontade muito grande de ter um gato e o gato também tá com uma vontade imensa de passar os dias com você, pensou? Então você ganha o gato, vocês sentem aquela sensação boa de quando se tem e passam dias juntos, grudados. Mas você não sabia que se dormisse com ele poderia sufocá-lo, não sabia que tinha que dar comida e água, por inocência mesmo. Viu, eu não quero te perder por mim mesma e nem quero que você me perca por você. 
Dessa vez ele ficou sério, enquanto ela olhava pros olhos dele, olhando pra cima, até que ele pôs as mãos em volta do pescoço dela (tão grandes que cobriam o pescoço todo) e foi se abaixando... ela tinha certeza que ele ia dar um beijo, daqueles bem quentes mas bem doces e sem querer dessa vez ela não resistiu como fez das outras vezes, ela só esperou que acontecesse, com as pernas tremendo e os olhos quase fechados. Ele encostou no ouvido dela
- Eu espero. 

Nenhum comentário: