30 outubro 2011

O último blues.

eu posso explicar o que aconteceu comigo ontem? bom, vou tentar ser a menos hipotética possível ;; acontece que quando a gente ama nessa velocidade da luz a gente pensa que um hora acaba, que nosso coração vai bater tão rápido que vai cansar. Eu sempre falei do fim, né? nada vai acabar não, fica traquilo :) mas é que eu sempre tenho medo de que você vá embora antes de mim, que eu fique estagnada achando que você vai voltar. A verdade é que você nunca volta e nunca vai voltar.  
O meu Kaco vai beber litros e litros de água por ai, vai beber suco, refrigerante e vinho; mas você vai sempre vir pra me hidratar, porque eu to com sede, certo? Eu tenho medo que você não venha, tenho medo que você vá e eu fique secando no sol, mas isso é medo porque eu sei que você vem. Talvez demore, até porque tem coisas que a gente não consegue fácil, e é ai que eu preciso aprender a esperar e ter calma. Se eu for paciente você pode me aparecer com um copo de coca-cola e um docinho
Eu não quero mudar, embora precise, eu gosto de ser assim, embora tenha horas que eu fico me odiando, mas todo mundo se odeia alguma hora. Eu pensei que me alterando ficaria melhor, mas é que eu não consigo. Eu fico com maluquice dizendo que eu não sei quem sou, mas eu sou isso. Eu sou essa aqui que escreve nada com sentido, que ora sempre por você, que quer ser atriz, que é uma fanática por Jesus, que dança, que canta, que amarra o cabelo e que usa maquiagem. É que eu não deixo ninguém ver, se as pessoas me aceitaram com a máscara que eu vesti é assim que eu vou ser. Eu sou. 
Confesso que senti muita raiva de você, por não aparecer, por não dar um sinal de vida, pensei em milhões de vinganças. O livro não era um presente, era um aparato para uma vingança. Mas Jesus me disse que você estava bem, que eu precisa aprender a esperar, que você ia voltar: não o mesmo, mas maior. (mais maior) Só Ele pode transformar o que era ruim em bom. Eu vou mudar, mas é de impaciente para calma.  
Você não levou nada meu, tá tudo aqui: o Chico, as palavras e as paixões. Eu só quis guardar bem escondido pra que eu não me desesperasse tanto. A gente vai se casar, a gente vai até o fim sem esquecer um do outro, porque mesmo que eu não esteja cravada em você e nem você em mim, a gente tem uma coisa que vale mais. A gente se ama. Aquele amor que só os inteligentes e burros sentem. É! kkkkkkk Somos loucos e bizarros pra um monte de gente, mas quando eu te conto a minha visão das coisas você ri, não porque realmente foi engraçado, mas porque você entende. Lembra, você disse "eu te entendo". Eu não quero mais te decifrar, poxa, essa foi uma coisa que fugiu de mim ou eu escondi, não sei. Sei que eu não encontro mais aquela vontade de ficar te decodificando. Misterioso ainda é, mas deixa ser assim, que graça tem se eu descobrir o segredo?  
"o seu coração é uma ilha a milhas daqui", mas navegar até ai me parece bom, pensar que meu barco vai atracar ai me dá vontade de continuar navegando. Eu estou naufragando, mas não é culpa sua, são outras coisas; quanto a você, eu vou continuar entendendo, vou continuar falando "por favor, Pai, não deixa que ele me esqueça", eu digo isso como um criança, depois fico rindo de como deve parecer engraçado. Porque você não me esquece, esquece não. O meu amor por você não vai ser de acaso, vai continuar sendo isso que é. Desse jeito "cheio de mistérios para aqueles que não querem decifrar", é isso e quem quiser que conte outra. 
Eu te amo, Kaco.