terça-feira, 26 de julho de 2011

André.

Praticamente sempre parece mais fácil nas palavras. De alguma forma as palavras parecem te enfeitar aos meus olhos, meus sentidos. Então, na ausência delas não há sensações e o que eu ouço e vejo são ações humanas: eu sempre prefiro o sub-humano.
Isto é porque não tenho em mãos a pessoa mais-que-perfeita. Mas como essa pessoa não vai dar ao porto, tenho que me contentar contigo, que és só perfeição. Então como tu não me sai da cabeça, nem com shampoo, habito no deserto molhado em que me encontraste inicialmente. Mas deve-se ver o erro: não houve encontro e nossos gemidos - que alguns ignorantes chama de "palavras" - parecem ser o bastante. Para ti é o bastante, mas não é o suficiente.
Quando me encontrares, verdadeiramente, saberás do muito que sinto e pedirá desculpas pelo atraso. Pois na sua ausência esse sentimentos morre: não ressuscita: morre. "Pois o crime maior do homem é ter nascido".

0 comentários:

Postar um comentário | Feed