21 junho 2011

ser mais que mais-bonito.

Eu queria ter abraçado pela última vez, a ultima que seria a primeira: única.
Eu queria que jornalismo nunca fosse faculdade de fuga para os que não têm para onde fugir.
Eu queria que as pessoas soubessem mais o que o amor significa.
Eu queria que as pessoas buscassem saber o que o amor significa.
Eu queria que as crianças de hoje gostassem de ouvir folclore, para saber o que é gostar.
Eu queria que o que é bonito não visse o mais-bonito e se tornasse feio, na vontade de ser mais que mais-bonito.

Nenhum comentário: